Defensoria implanta sistema para otimizar atendimentos

Como parte do  projeto de aparelhamento, modernização e segurança, previstos em seu plano estratégico, a Defensoria Pública do Estado do Piauí DPE-PI, dá seguimento à implantação do Solução Avançada em Atendimento de Referência Sistema Solar na instituição. Defensores públicos, servidores e estagiários da Defensoria conheceram detalhes do sistema a partir de apresentação feita pelo analista de Tecnologia da Informação da Defensoria Pública do Tocantins, Lucas Abreu, no auditório da Casa de Núcleos da Defensoria.

O diretor administrativo da Defensoria Pública, Ivanovick Feitosa, discorreu sobre a implantação do Solar na DPE-PI. “Hoje concluímos uma importante etapa. Após um ano de intenso trabalho de adequação do sistema à realidade da instituição, recebemos o servidor da DPETO para homologação do Solar. Sistema que certamente implicará uma mudança de paradigmas. Hoje iniciamos também o processo de treinamento e capacitação de defensores, servidores e estagiários. O Solar é uma ferramenta que vai facilitar a adoção de fluxos uniformizados pela DPEPI. O sistema irá nos permitir um trabalho integrado com os sistemas do Tribunal de Justiça. Importante destacar que a escolha do Solar é fruto de várias reuniões, de um trabalho muito bem feito na Defensoria de Tocantins e do desejo da DPEPI de modernizar suas práticas relacionadas a atividade fim. É um sistema feito para durar e que vai oferecer a possibilidade de criação de um banco de dados com informações completas dos nossos assistidos, bem como com modelos de peças processais criadas por nossos próprios defensores”, afirmou o defensor.

Nessa etapa de implantação, o analista do Tocantins também esteve na DPE-PI nos dias e , quando na presença do defensor público geral, Erisvaldo Marques; da subdefensora pública geral, Carla Yáscar Bento Feitosa Belchior; do diretor administrativo, Ivanovick Feitosa; e da diretora das Defensorias Regionais, Karla Araújo Andrade Leite, apresentou as particularidades da operacionalização do sistema. Também esteve presente a equipe de Tecnologia da Informação da DPE-PI, responsável pela instalação do Sistema na instituição.

O Solar

Considerada atualmente uma das melhores ferramentas para atendimento no meio jurídico, o Solar foi desenvolvido pela equipe de Tecnologia de Informação TI da Defensoria Pública do Estado do Tocantins DPE-TO. No Piauí, a instalação, em fase experimental,  foi feita em de dezembro de , na Diretoria de Primeiro Atendimento, sendo posteriormente instalado nas  ª e ª Defensorias Públicas Criminais e nas Defensorias Regionais de Piracuruca e Altos.

A Defensoria Pública do Estado do Tocantins vem prestando toda a assistência necessária à DPE-PI, tanto na disponibilização do Sistema como na capacitação dos profissionais da TI local, que já se deslocaram até o Tocantins  por mais de uma vez ou receberam orientações por meio de videoconferências. Com o Solar, a Defensoria Pública do Piauí irá criar pela primeira vez um banco de dados real dos assistidos, que será atualizado a cada ida deles à instituição, possibilitando acompanhar os históricos com maior agilidade. O sistema também traz a vantagem do defensor poder criar um vínculo com o processo no Tribunal de Justiça.

A partir da implantação do Solar, todo o atendimento da Defensoria passa a ser integrado em um único sistema de gerenciamento, facilitando o acesso a dados e dando agilidade aos processos. O sistema permite ainda que seja gerado um relatório, ao final dos atendimentos, facilitando pesquisas ou comprovações que se façam necessárias. “Hoje a Defensoria do Piauí tem praticamente um ano de instalação do Solar, que já é utilizado em algumas unidades. Nosso objetivo aqui é alinhar o uso do sistema, tirar possíveis dúvidas, contribuindo para que o Solar seja levado para o restante do estado”, diz Lucas Abreu.

O analista do Tocantins explica que o Sistema Solar também contribui significativamente para a redução do uso do papel. “Hoje acabou gerar papel para tudo, muitos documentos que o defensor trabalha, como petições e ofícios, já são todos eletrônicos e as atividades, como atendimentos e movimentações processuais, eles registram dentro do sistema. Isso facilita bastante para a Corregedoria acompanhar o que está sendo feito dentro da instituição e para a própria Defensoria mostrar resultados. Alguns desses relatórios são usados até mesmo para conseguir recursos para investimentos, porque a instituição pode provar o que vem sendo realizado.Ajuda ainda na questão da organização do defensor, que pode controlar quais os atendimentos fará, se tem alguma atividade para ser feita por meio de tarefas, pode fazer anotações que ajudam a lembrar com mais facilidade o que conversou com o assistido e assim consegue um atendimento cada vez mais humanizado, porque quando o assistido volta,  o defensor vê tudo que já foi conversado e pode ser mais específico naquele novo atendimento”, ressalta Lucas Abreu.

O defensor público geral diz que a implantação do Solar será adequada à realidade da Defensoria Pública do Piauí. “O Sistema Solar permite adequações à realidade de cada estado onde é implantado e isso já vem ocorrendo aqui também. O objetivo é garantir maior segurança aos defensores no acompanhamento dos processos, revolucionando a ligação da Defensoria com o tribunal.Trata-se de um ganho para a nossa instituição que se refletirá no atendimento que prestamos aos nossos assistidos, com a possibilidade de um acompanhamento cada vez mais completo e imediato da situação de cada um”, afirma Erisvaldo Marques.